Publicado em

SE QUER TER SUCESSO, NÃO SIGA JESUS

Jesus é o pior modelo de marketing, liderança organizacional, adesão e manutenção de seguidores, em comparação com as técnicas modernas de liderança. O paradoxo é que há uma porção de gurus organizacionais que o utilizam como o Maior Líder. Cômico e trágico. Jesus escolheu pessoas sem crédito e sem influência na sua época para serem seus seguidores; confundia-os o tempo todo ao ponto de no final do “programa de treinamento” eles ainda não haviam entendido quase nada. Tinha mensagens duras e não convidativas, quem queria segui-lo ouvia-o dizer que seria muito difícil ao ponto de não terem nem onde dormir à noite. Quando seus discípulos esboçaram não entender o que estava acontecendo e sugerirem que muitos estavam indo embora por causa de seu discurso, Jesus perguntou se eles não queriam ir embora também. Não fazia alianças estratégica, não era diplomata e não deixava de expor a verdade mesmo quando incomodava gente importante. Não fazia propaganda de si mesmo, se afastava quando sua popularidade aumentava e pedia para que as pessoas que tinham sido curadas não contassem a ninguém.

Eu sigo rindo das tolices escritas pelos gurus da auto-ajuda e da mística do executivo que segue os monges, que utilizam a imagem de Jesus como modelo de tudo aquilo que Jesus desprezou.

2015 Alexandre Robles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *