Publicado em

UMA BREVE CONDIDERAÇÃO DO DINHEIRO NA CONSTRUÇÃO DO PROTESTANTISMO, CAPITALISMO E EVANGELICALISMO

A ideia de prosperidade atrelada à fé, no mundo moderno ocidental, surgiu com o Movimento Protestante, que afirmou que o trabalho gera prosperidade, com a bênção de Deus. Tal princípio foi usado sem limites éticos pelo Espírito Capitalista que aumentou a importância do enriquecimento pessoal em detrimento da ética do trabalho, ou seja, o Capitalismo afirmou que o que importa é ser rico, mesmo que não seja através de um trabalho ético e promotor do bem social e da justiça. Depois, a Teologia da Prosperidade afirmou que Deus é quem enriquece as pessoas que doam dinheiro nas igrejas. Deste modo, eliminou a importância do trabalho e relativizou a ética.

 

A Ética Protestante do trabalho encontra-se nos livros de história que contam o início de algumas grandes nações capitalistas do mundo ocidental. O Espírito Capitalista predatório encontra em Wall Street sua cidade sagrada. E a Teologia da Prosperidade da magia da intervenção de Deus, a despeito do trabalho e da ética, encontra-se nos templos religiosos evangélicos e tem em seus pastores, bispos e apóstolos, os feiticeiros responsáveis por acionar as forças espirituais que fazem prosperar qualquer pessoa que faça campanhas e sacrifícios financeiros.

 

De acordo com as palavras de Jesus e de Paulo, aprendo que o Dinheiro, como sistema de valores que domina as estruturas sociais e de poder, é um deus e que não se pode servir ao Deus Criador e ao deus Dinheiro ao mesmo tempo. Aprendo que o Dinheiro, este sistema, é a raiz de todos os males e que as pessoas que têm como objetivo essencial tornarem-se ricos, perdem a vida e causam mortes ao seu redor. Aprendo que numa sociedade injusta, nem sempre o trabalho honesto e dedicado, gerará ganhos condizentes, portanto, nem o espírito protestante pode ser uma Lei, mas apenas serve como instrumento de qualificação das relações entre os homens; sendo que numa sociedade injusta, há aqueles que ganharão mais e os que ganharão menos. Quanto menor for essa distância, mais justa e desenvolvida é uma Nação. E ainda nestas, a maneira como o Evangelho atua é através da solidariedade, pois como nos ensinou Paulo, no Reino de Deus, aquele que ganhou mais, não teve sobrando e quem ganhou menos, não teve faltando.

 

Portanto, no Evangelho, o Capitalismo sem ética é completamente condenado, ainda que traga enriquecimento. A Teologia da Prosperidade é uma bobagem manipuladora e denunciadora de gente crente e egoísta. E o espírito ético do protestantismo é apenas princípio norteador de estruturação social, mas não é suficiente para eliminar injustiças de ganho e acúmulo.

 

Arrisco alguns conselhos:

 

  1. Trabalhe honestamente e com dedicação, fazendo o melhor que pode, através da sua atuação, para melhorar a vida das pessoas e o mundo em que vivemos.
  2. Ganhe o quanto for possível, de modo ético e respeite seus limites e os limites das pessoas que vivem com você.
  3. Compartilhe do que ganha, para que não sobre na sua vida e a sobra seja objeto de ostentação, orgulho, vaidade, imposição e exercício de influência e poder; e para que não falte a ninguém que estando ao seu alcance, pode não ter recebido dignamente, mas diante de Deus é digno de viver como qualquer outra pessoa no mundo.
  4. Poupe de modo responsável, um pouco do que ganha, para prever e prover para o dia mau, não faça isso por medo de não ter amanhã, mas com a responsabilidade de quem sabe que recebeu de Deus hoje o que pode administrar de tal modo a que o supra na hora de maior necessidade.
  5. Desfrute com paz e alegria do bem da vida, com as pessoas que ama. Viva hoje e não trate o dinheiro como impeditivo de suas pequenas felicidades.

Deus abençoa o trabalho e a produção, sementes lançadas em solo certo dão seu fruto, apenas trabalhe. Num mundo injusto, nem sempre o resultado de nosso trabalho será coerente, como se as sementes lançadas em bom solo, fossem arrancadas pelas tempestades. Quando isso acontece precisamos sobreviver com a solidariedade de quem colhendo mais não tem sobrando. Mostre que você ama a Deus e ama a vida, não acumulando, mas compartilhando dos seus bens, seja com organizações e as pessoas que alimentam seu desenvolvimento espiritual, seja com instituições de assistência aos mais necessitados, seja com pessoas que promovem arte e cultura e que alimentam nossa transcendência. E Deus abençoa seu lazer e seu descanso, gaste seu dinheiro com passeios, viagens e experiências que irão marcar sua vida e de sua família.

 

O melhor lugar do dinheiro, é longe do nosso coração.

 

2015 Alexandre Robles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *