Publicado em

VAMOS FAZER DIFERENTE?

O Poder da Cultura
(Para quem for capaz de ler até o fim)
 
A cultura é a maneira como um ser vivo se estabelece em um ambiente. De bactérias a seres humanos. Nós, criamos sistemas de estabelecimento, propagação e manutenção de nosso conhecimento e ocupação do Planeta. Isso é uma cultura. Parte dela é sua arte, outras seu folclore, suas expressões religiosas, seu comércio, sua organização política e social, enfim.
 
Havia uma só cultura na raça humana que foi completamente dizimada nos tempos de Noé, quando seres angelicais rebeldes a Deus, invadem a Terra, se imiscui com os seres humanos e cria uma cultura de destruição, maldade e morte inimagináveis, que nenhuma sociedade foi capaz de registrar plenamente, mas que em cada registro dos povos da Antiguidade há referência à presença destes seres gigantes e poderosos que construíram o Mundo Antigo observável.
 
Esta cultura absolutamente tomada pelo mal, foi lavada da Terra no evento do Dilúvio. Fato também mencionado nos relatos de muitos povos antigos ao redor do mundo.
 
Após o Dilúvio, os seres humanos viveram a grande migração pela Terra. O relato bíblico que explica tal evento é o da Torre de Babel, quando o Criador confundiu os idiomas dos povos para que fossem separados. Isto, porque quando havia uma cultura apenas na Terra, tendo chegado a níveis absurdos de maldade, a solução teve de ser o extermínio. E para que não fosse novamente necessária tal intervenção divina, acontece a divisão dos povos, cada um com sua língua, a fim de dar origem a várias culturas diferentes.
 
Deste modo, quando um cultura chega a níveis inadmissíveis de maldade, ela desaparece, mas a raça humana é preservada através de outras culturas que sobrevivem em limites aceitáveis ou desejáveis. A partir desta “confusão” de línguas, a humanidade se desenvolveu nas culturas da Antiguidade até chegarmos em nossos dias.
 
E de todas as culturas antigas, O Criador estabeleceu uma relação com um povo iniciado por Abraão, a fim de que este povo fosse uma referência cultural para todas as culturas da Terra.
 
A comunicação é fundamental na consolidação da cultura. Por isso que somente surgiram várias culturas a partir da diversificação linguística.
 
Quando um grupo de pessoas se organiza a partir de uma linguagem, ele estabelece uma cultura. A linguagem pode ser o idioma, mas pode ser também uma referência artística, religiosa, etc. Deste modo, podemos estabelecer na história a cultura do consumismo, a cultura da corrupção, a cultura da solidariedade, a cultura da guerra. Sua casa é uma cultura, seu escritório, sua igreja. Começamos a agir de determinado modo, elegemos valores e expressões e comunicamos internamente, mesmo que tais processos sejam inconscientes. Minha família, meu ambiente de trabalho, minha igreja, qualquer estrutura pode desenvolver a cultura da hostilidade ou da gentileza; do exagero ou do equilíbrio; da doença ou da saúde; do desperdício ou da preservação; da banalidade ou do idealismo; etc.
 
E o Evangelho é o poder do Espírito Santo unindo pessoas num novo idioma, extraindo o poder de toda e qualquer cultura da Terra sem se tornar uma Cultura Alternativa, mas a manifestação de uma Nova Humanidade como deveríamos ser desde sempre. Quando o Espírito Santo se manifesta entre os primeiros seguidores de Jesus, Ele unifica os diferentes, através de um novo e mesmo idioma espiritual. É como se o evento do Pentecostes fosse a resposta do Criador à intervenção promovida no evento da Torre de Babel. Em Babel o idioma é confundido, no Pentecostes os idiomas são unificados.
 
Nós temos o poder de criar, modificar, abandonar e finalizar culturas. Elas dependem de nós para existirem.
 
E quando duas pessoas começam a concordar a respeito de valores, modos e objetivos, nasce uma cultura nova. Jesus afirmou que apenas dois ou três são necessários para que uma Igreja se manifeste na história, por exemplo. Se é assim com a igreja, é assim com a família, o trabalho, o bairro, a cidade. Josué, um líder político em Israel, propôs e afirmou uma cultura em seus dias quando disse: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” e ainda disse que havia a opção de que outras pessoas criassem culturas diferentes da dele: “vocês escolham a quem vão servir”.
 
Nosso mundo somente muda, quando duas ou três pessoas começam um processo de reestruturação cultural.
 
Que música vamos ouvir? Como viveremos nossa sexualidade? Como faremos negócios?
 
Estamos precisando urgentemente de pessoas que construam culturas do bem ao nosso redor. E se você chegou até o fim deste texto, já mostra ser capaz de pensar além de sua cultura imediatista e de frases de efeito empobrecidas pela obviedade. Obrigado por me acompanhar.
 
Vamos analisar, refletir, alterar, recriar a cultura? Chame dois ou três e recomece com uma oração simples ao Criador, pedindo que o Espírito Santo lhes dê o idioma de comunicação do amor.
 
Paz e bem!
 
2016 Alexandre Robles
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *