Publicado em

DEUS NÃO NOS AMA DO JEITO QUE SOMOS

Deus nos ama, não como somos, mas apesar de quem somos. Se nos amássemos como somos, incondicionalmente, não haveria conflito existencial algum, nós não lutaríamos contra nossa consciência que insiste em afirmar que algo está errado em nós, em nosso olhar. E Ele não teria morrido na Cruz por nós. Por que Deus iria entregar seu próprio Filho para morrer pelos nossos pecados, se Ele simplesmente aceitasse-nos como nós somos?
 
Deus quer quer eu seja outra pessoa. O Amor é assim. Não nos ama do modo que somos, mas quer que sejamos outra pessoa. A diferença entre nossos amores e o de Deus não é que Ele aceita quem ama como é, mas que é Perfeito no amor e perfeita é a pessoa que Ele quer que sejamos.
 
Eu não espero que as pessoas me amem como eu sou, nem eu me amo assim. Eu espero encontrar na vida pessoas que demorem a desistir de me amar e espero encontrar pessoas que queiram que eu seja alguém melhor que eu mesmo, mas não acredito que serei amado por alguém que não espere de mim alguma mudança, que não espere que eu seja outra pessoa, durante toda a nossa convivência.
 
Nós vivemos a ilusão de que amar é aceitar a pessoa como ela é. Isso não existe. Nem Deus ama assim. Na Cruz aprendemos que o Deus que quer nos mudar pagou perfeitamente o preço dessa transformação. Na Cruz eu aprendo que a pessoa que eu sou custa muito caro para o amor de Deus por mim.
 
A salvação é de Graça, para mim; mas custou muito caro, para Deus. Disso vem minha eterna, reverente, limitada e desconhecida Gratidão!
 
E na Ressurreição eu experimento o milagre do amor que pode fazer renascer tudo o que em mim morre.
 
©2016 Alexandre Robles
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *