Publicado em

QUE BEIJO É ESSE?

O Salmo 2 foi escrito, provavelmente, para a coroação de Davi como Rei. Nele há uma referência a “beijar o filho”. Filho era expressão usada para os Imperadores e Reis da Antiguidade, chamados de “Filhos de Deus”. Deste modo, o salmo 2 é considerado um texto profético, que faz referência a Jesus, o Filho de Deus a quem devemos beijar. O beijo, no contexto, é uma atitude de reverência.

Com um beijo Judas traiu a Jesus e foi por ele questionado: “com um beijo você está traindo o Filho de Deus?”. 

Se Judas se lembrou do Salmo, entendeu o que Jesus dizia.

Mais do que o beijo em si, o que vale é a intenção com que é dado.

Nem todo beijo é de amor. Nem toda carícia é carinhosa. Nem todo silêncio é concordância. Nem toda bronca ou palmada são agressivas. Nem todo distanciamento é rejeição.

Nada é em si mesmo, senão aquilo que deseja-se transmitir.

Por isso que não a forma, mas a essência é o que realmente importa.

Porque nem toda oração é verdadeira, nem toda canção é louvor, nem todo culto é adoração, nem todo conhecimento é experiência.

A questão é o que quer com o beijo que se dá!

©2016 Alexandre Robles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *