Publicado em

SOLIDÃO ÍNTIMA

Jesus pediu que seus amigos fossem com Ele orar, no Getsêmani, mas retirou-se um pouco mais a fim de orar sozinho. Há um ambiente de oração que exige solitude. Só se fazem presentes Deus e quem ora. As pessoas vão conosco até um certo ponto, depois vamos sós; sabem do que sentimos, podem compreender o que vivemos, apenas até um limite, depois, apenas Deus consegue observar, compreender, participar. Isso porque fazem parte de nossas confusões não alcançadas pelas tentativas de explicação; ou por serem nossas feiuras e vergonhas, que nem aos mais íntimos queremos mostrar; sobretudo, por serem as fraquezas e debilidades que acreditamos não serem suportadas por ninguém.

E é deste ambiente de profunda solidão consciente e sensível que surgem nossas expressões mais honestas. Os artistas visitam este ambiente com freqüência. Os profetas saem dali carregados de urgências. Os poetas o interpretam. Cada pessoa ali está diante de Deus, mesmo que não reconheça que com Ele esteve.

©2016 Alexandre Robles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *