Publicado em

PENSAMENTO DE PAI

Criar filho é como lançar sementes. A gente escolhe as que acredita serem melhores, lança no solo do coração deles, depois ora bastante, entregando os temores ao Criador, porque não dá pra saber exatamente como elas estão crescendo ali dentro. A gente até consegue proteger para que calor, luz e água sejam dispensados na medida certa; a gente avalia o solo, faz projeções. Também é possível afastar as pragas e tentar evitar que ervas daninhas cresçam ao redor, mas no final das contas, o fruto é o filho mesmo que dá, porque será o que ele é; então a gente percebe que terá sido apenas bom cultivador de sementes.
Tem um tempo em que as sementes estão escondidas, sem mostrar sequer os brotos. Nessa hora a gente ora mais, entrega tudo ao Criador.

Tudo o que eu não sabia em mim, nele eu aprendo a encontrar.

Alexandre Robles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *