Publicado em

O Reino de Deus é um reino de hospedeiros, recebemos refugiados e estrangeiros, mesmo que sua chegada afete nossa cultura cristã. O Reino é maior que a cultura. Recebemos o estrangeiro em adoração a Deus e, como adoradores de Jesus e não surtados alistados em qualquer guerra santa, nós, os seguidores de Jesus estamos prontos para morrer com Ele, jamais para matar em nome dele.

Todo discurso que pretende generalizar os muçulmanos como se todos fossem terroristas é tão raso e idiotia quanto o preconceito de quem compara alguns de nós evangélicos com as lideranças evangélicas midiáticas e dizem que somos todos iguais.

Todo discurso do fundamentalismo cristão que afirma que não se pode abrir as fronteiras para receber muçulmanos sob o risco de se perder a cultura cristã ocidental está sempre a um passo de preferir o extermínio deles ao risco da miscigenação, portanto, próximos de matar em nome de sua cultura dizendo matar nome de Deus.

Preste atenção que você perceberá os profetas que estão defendendo apenas a cultura cristã e fomentando a violência em nome de Deus.

O Reino de Deus é o Reino
de Jesus que não mata, mas morre em nome de Deus.

2015 Alexandre Robles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *