Publicado em

“Não me entenda mal”. Pedimos. Não te entendo mal, apenas te entendo. Respondemos. Pelo menos, aqueles que sabemos que não há experiência humana que seja completamente estranha a qualquer outro ser humano, que mesmo não tendo vivido, sabemos que somos capazes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *