Publicado em

Como são amargas as palavras da inexperiência. Só sabe quem viveu. Quem não sabe, deveria se curvar ante o silêncio reverente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *